Garra Team

Modalidades

Jiu Jitsu

O Jiu Jitsu ou Jujutsu (arte versátil, suave) é uma arte marcial que utiliza golpes de articulação, como torções de braço, tornozelo e estrangulamentos, para imobilizar o oponente. Inclui também quedas, golpes traumáticos e defesas pessoais, como saídas de gravata, esquivas, contra-golpes, etc.

Basicamente usa-se o peso e a força do adversário contra ele mesmo. Essa característica da luta possibilita que um lutador, mesmo sendo menor que o oponente, consiga vencer. Outra característica marcante o diferencia de outras artes: suas avançadas técnias de luta de chão, com a qual é possível finalizar um adversário por meio de uma queda e usando-se torções com ambos deitados.



História

Apesar de se tornar mais popular no Japão, a história do Jiu-Jitsu começou na Índia (por isso a cognominação "o berço das artes marciais"), há mais de dois mil anos. Os monges indianos eram proibidos, pela religião, de se defender com armas. Mas em suas longas caminhadas, eram atacados por bandidos das tribos mongóis do norte da Ásia, nascendo então a necessidade de defesa corpo-a-corpo.

Conhecedores de pontos vitais do corpo, desenvolveram um tipo de defesa especial para o tipo físico do seu povo, franzino e de baixa estatura. Essa espécie de embrião do Jiu-Jitsu acabou atravessando as fronteiras da China, onde suas técnicas também foram desenvolvidas como um sistema de defesa, até alcançar o arquipélago japonês, lá desenvolvido e praticado apenas por nobres e samurais.

Antigamente havia vários estilos de Jiu-Jitsu e cada lutador tinha seu estilo próprio. Por isso o Jiu-Jitsu era conhecido por vários nomes, tais como: Kumiuchi, Aiki-Ju-Jitsu, Koppo, Tai-Jutsu, Gusoku, Oshi-No-Mawari, Yawara, Hade, Jutai-Jutsu, Shubaku entre outros.

No fim da era Tokugawa, existiam cerca de 700 estilos de Jiu-Jitsu, cada qual com características próprias. Alguns davam mais ênfase às projeções ao solo, torções e estrangulamentos, ao passo que outros enfatizavam golpes traumáticos como socos e chutes. A partir de então, cada estilo deu origem ao desenvolvimento de artes marciais conhecidas atualmente de acordo com suas características de luta, entre elas o Judô, o Caratê e o Aikidô.

Por muito tempo, o Jiu-Jitsu foi a luta mais praticada no Japão, até o surgimento do Judô como esporte em 1882. O Jiu-Jitsu chegou a ser proibido no Japão durante um certo período como crime de lesa-pátria. Com a introdução da cultura ocidental no Japão promovida pelo imperador Mutsu Hito (1867-1912), as artes marciais ficaram esquecidas. Elas só foram valorizadas mais tarde, quando o ocidente também já apreciava esse tipo de luta.



O Jiu Jitsu no Brasil

Em 1917, Mitsuyo Maeda, também conhecido como Conde Koma, foi enviado ao Brasil em missão diplomática com o objetivo de receber os imigrantes japoneses e fixá-los no país. Sensei da Academia Kodokan de Judô, Maeda ensinou Carlos Gracie em virtude da afinidade com seu pai, Gastão Gracie. Carlos por sua vez ensinou a seus demais irmãos, em especial a Hélio Gracie. Neste ponto surgem duas teorias. A primeira alega que Maeda ensinou somente o Judô de Jigoro Kano a Carlos, e esse o repassou a Hélio, adaptando-o com grande enfoque no Ne-Waza - técnicas de solo do Judô, ponto central do Jiu Jitsu desportivo brasileiro. A segunda teoria, apoiada pelos Gracies, fala que Maeda era, também, exímio praticante de Jiu Jitsu antigo, como Jigoro Kano, e foi essa a arte que ensinou ao brasileiro. Mas o certo é que o Jiu-Jitsu tradicional muito difere do praticado no Brasil atualmente.



Quem pode praticar?

Destina-se a todos entre 06 e 70 anos de idade. Traz ao seu praticante preparo físico completo além de conhecer uma das mais eficientes artes marciais japonesas, que tem como intúito derrubar e imobilizar o adversário sem usar golpes traumáticos.

« Voltar ao topo

Visite também

Apoio

Bento Gonçalves  -  RS  -  Fone: (54) 9605.0055  -  eduardo@garrateam.com.br